domingo, abril 25, 2010

Humorísticos: os reis dos processos na TV

Quem ri por último... Geralmente tem de pagar um bom advogado. Alvos de eterna comparação e, ao mesmo tempo, negando denominadores em comum, Pânico (RedeTV!), CQC (Band) e Casseta & Planeta (Globo) têm encontro marcado mesmo é nas esquinas dos tribunais. Além de azucrinar celebridades, perseguir políticos e fazer graça com vergonhas nacionais, a turma de humor afiado tem em comum a antipatia do pessoal do jurídico de suas respectivas emissoras: são os reis dos processos na TV.

Peritos em perseguir os tais "senhores de terno" do Congresso, o CQC, também coleciona processos ao longo dos quase três anos de vida - nenhum com ganho de causa, garante o diretor Diego Barredo. A maioria parte de políticos que acreditam terem suas imagens maculadas pelas brincadeiras.

Marcelo Tas, o líder dos "homens de preto", deveria ter se acostumado a ser levado à Justiça, já que desde a década de 80, quando fazia o repórter inconveniente Ernesto Varela, azucrina personalidades. Porém, define como censura a horda de processos que se acumulam contra os humoristas. "A pressão psicológica e financeira causada pelas ameaças de processo joga os artistas, jornalistas e empresas de comunicação contra a parede. A palavra para definir essa pressão é uma só: censura!".

Paradoxalmente, Tas diz que tinha muito mais liberdade durante a ditadura e a transição para democracia do que agora, época em que humoristas são processados "simplesmente por expressar opinião ou fazer crítica". "Há uma escalada galopante do politicamente correto que tenta aplainar e uniformizar toda forma de pensamento inusitado", critica. "Há um retrocesso grave e preocupante quanto à liberdade de expressão no País."

Juntamente com o colega Rafinha Bastos, Danilo Gentili é um dos campeões de processos no programa. Segundo ele, a ordem na casa é para que os repórteres não se preocupem com ibope ou Justiça. Depois, é a direção do humorístico quem resolve o que vai para o ar.

Para Gentili, o limite do humor é o bom senso. "O comediante só se ferra se a piada não tiver graça. Aí, sim, ele tem de se desculpar." Porém, antes de sofrer qualquer dano material por causa da patrulha da piada, Gentili se precaviu: transferiu seus bens para o nome de sua mãe. "Se me processarem, na conta só vão ver uns R$ 200."

Além dos melindres das celebridades e políticos, Gentili acredita que a razão para tantos processos é o fato de o movimento de comédia no Brasil ser "bunda-mole". "Só uma meia dúzia de gente está realmente disposta a fazer piada. Abro a revista e vejo colegas querendo estar na primeira fila da classe artística, quando deveriam ser o cara chato do fundão, que uns dão risada e outros dizem: ‘vou ter que aturar esse chato’.

Fonte Estadão
Posted By: Viviane Pereira

Humorísticos: os reis dos processos na TV

Share:

Post a Comment

Facebook
Blogger

3 comentários:

  1. esses caras do congresso acham q eles sao os certos da historia mas a maioria devem ter processos ou até os mandatos cassados !! eles tinha q tira o chapeu pro CQC ! pois o CQC ée o maior programa de humor do Brasil !!! uhuu viva o CQC *--*

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela volta! Só um pedido para o CQC, sempre digam o partido dos políticos ao falarem sobre ele, ontem mostraram um no Top 5 e não falaram de que partido era, temos que começar a queimar os partidos que não tomam providências com seus integrantes sujos!

    ResponderExcluir
  3. O humor do Brasil depois que o CQC surgiu nunca mais foi o mesmo; vocês dão um banho de humor inteligente.

    ResponderExcluir

Orientações para a postagem de comentários do CQC Blog

Follow Us

Arquivo do Blog

Comunidade CQC Brasil

Postagens Populares

© CQC Blog - Custe o Que Custar All rights reserved | Theme Designed by Seo Blogger Templates