quinta-feira, outubro 21, 2010

Documento da Semana: Aborto


Muito discutido nestas eleições, o aborto é tema de polêmica e discórdia entre os dois candidatos a Presidência. O documento da semana abre a discussão deste tema, que é um dos principais tabus da sociedade. Para isso, os repórteres do CQC entrevistam especialistas e personalidades públicas para saber sua opinião sobre o assunto.

Sem dúvidas este foi um dos Documentos da Semana mais comentados e debatidos na internet já feitos pelo CQC. Eis alguns dados bastante pertinentes do Ministério da Saúde sobre o aborto:

Em média 250 mil mulheres são internadas anualmente com complicações decorrentes de abortos clandestinos. Em 1991, o número de curetagens pós-abortamento realizadas na rede pública de saúde ultrapassou 340 mil; 20% em meninas entre 10 e 19 anos. Em 1997, foram 240 mil internações de adolescentes para realização de curetagem.
Pelo substitutivo de Feghali, parado na Comissão de Seguridade Social e Família, devem ser estipulados prazos para a interrupção voluntária da gravidez; 12 semanas para gestantes, 20 quando for fruto de violência sexual. O procedimento deve estar disponível na rede pública e nos serviços prestados por planos de saúde. Só deve haver uma punição para o aborto: quando cometido contra a vontade da gestante. Enquanto não é votado, meninas de 14 anos morrem.
Em São Paulo, um aborto “cuidadoso” custa R$ 2 mil numa clínica conhecida de um bairro nobre. É o quanto adolescentes da elite pagam. Em clínicas clandestinas na periferia da cidade o procedimento pode ser feito a partir de R$ 200. 

Faça as contas. Se as 340 mil que fizeram curetagem pós-abortamento na rede pública pagaram, digamos, R$ 200 o aborto, movimentou-se uma “indústria” de, por baixo, R$ 68 milhões. Imagine quanto gera a empreendimento do aborto ilegal no Brasil, e quantos faturam com esse mensalão?









Não é porque o aborto pode vir a ser descriminalizado que todo mundo vai usá-lo como método contraceptivo ou haver fazer apologia à prática. Um exemplo é o Adultério que até 2005 era tipificado no Código Penal e não foi porque deixou de ser crime que a prática seja estimulada (exceto pelo Mr. Catra :P). Ninguém faz apologia ao Adultério, e creio que o mesmo não acontecerá com o Aborto. Ele continuará sendo uma conduta moralmente reprovável do ponto de vista social, assim como o Adultério é.

Fazer ou não aborto é opção da mulher, do casal, dos envolvidos na situação, que, mesmo correndo o risco de serem enquadrados no código penal, acabam fazendo o procedimento. Não estamos aqui para defender, legalizar e muito menos crucificar quem faz o aborto, mas sim para discutir de forma saudável e adulta todo o ônus que é causado aos cofres públicos, e consequentemente aos nossos bolsos, pela prática clandestinas do aborto.

Deixe nos comentários a sua opinião sobre o assunto.

Créditos a Lala do Fórum Controle Remoto pelos dados do MS e opinião bem embasada utilizada nesta postagem
Posted By: CQC Blog

Documento da Semana: Aborto

Share:

Post a Comment

Facebook
Blogger

10 comentários:

  1. Concordo plenamente.Se legalizado ele pode salvar muitas vidas.Parabéns ao CQC pela iniciativa.Como eu li em algum lugar:"precisou de um programa humoristico para debater um problema tão serio"

    ResponderExcluir
  2. Pra mim @jahna_m7 o aborto tem q ser legalizado,nao acredito q seja assassinato como alguns dizem,pecado e tal...Ate pq pecado é colocar filho no mundo sem nenhuma condiçao para criar,sustentar,educar....e nao é falta de cuidados q acontece esse tipo de coisa,pq MERDA ACONTECE msm tendo todos os cuidados do mundo pra nao engravidar.Afinal somos livres ou nao somos? Temos o direito de fazer o q tamos afim de fazer.Agr é justo ricos fazerem os abortos em clinicas super caras e com toda segurança,msm essas sendo clandestinas,enquanto o pobre vai pra maos desses açougueiros q tem por ai,correndo risco de vida,ou pior fazer em casa com receitinhas suicidas? Legaliza e pronto,ate pq nao legalizando,nao vai mudar mta coisa,quem pode vai fazer o aborto com segurança e quem nao pode vai fazer o aborto do jeito q da,sendo assim correndo riscos.
    Aeh beijao a toda da família CQC e PARABENS pela materia.

    ResponderExcluir
  3. Excelente postagem, uma síntese perfeita da questão. E então, quando se pensa em todos os dados, fica claro: a única coisa que impede o aborto ser de fato legalizado é a intolerância religiosa, e nada mais. Vejam bem: em praticamente todos os países de primeiro mundo, o aborto é legalizado. Coincidência?

    ResponderExcluir
  4. Mais uma vez estamos querendo dar uma alternativa, e ñ resolver o problema, mais uma vez nós aki no Brasil estamos optamos para dar soluções paliativas. temos aki uma grande dificuldade em ir na causa do problema, normalmente vamos no efeito, por isso vivemos em um país q os problemas seempre crescem. em vez de darmos instruções, educação para os jovens. explicando, como o sexo funciona, quais são as DST, como prevenir, como ñ engravidar. Ñ queremos ir no mais fácil, queremos aprovar o aborto, a morte de varios bebês. Vemos q políticos querem diminuir a idade mínima de ser preso dos 18 para 16, mais uma vez queremos ir no mais fácil, no efeito e ñ na causa, assim como na cota para negros, o problema ñ é a cor o problema é a educação publica de baixíssimo nivel q negros e brancos ambos de familias q ñ tem condição de pagar colégio particular, sofrem com a educação ruim e precisam então de cotas para entrar. mas o problema continua por varias gerações, pq a causa disso é a falta de educação, mas em vez de aplicaram um novo sistema de educação no Brasil ñ vão pelo caminho mais fácil q é dar cotas para negros. ir no efeito ñ resolve o problema, só "tapeia" só alimenta a causa, agravando ainda mais a situação pela falta de educação publica de qualidade, e ñ por permitir isso ou akilo. vemos q em nosso país o jeitinho brasileiro esta presente em todos os momentos, para tapiar os absurdos de nossa sociedade do nosso governo, de prostituição, de racismo, de corrupção, de pouca moral, falta de ética. ñ queremos encarar a real situação e dar a real solução. pq ñ se resolve a causa agindo no efeito! sendo assim sempre seremos esse Brasil do jeitinho brasileiro do pequeno ao grande de nossa sociedade!

    ResponderExcluir
  5. Sou contra o aborto, a mulher que faz um aborto mata seu próprio filho e comete SIM um crime de assassinato. Antes de se entregar a alguém a mulher deve ter responsabilidade e se antecipar ao problema ao invés de após o acontecido lamentar e transferir sua responsabilidade. E o homem que também participou do ato também é co-responsável. O que falta nesse pais é educação, informação e responsabilidade. Todo mundo vai pra balada, fica com o primeiro que encontra, enche a cara vai para o motel, engravida e depois se coloca de vítima da sociedade. vamos parar de hipocrisia, vamos nos tornar adultos e assumir responsabilidades!

    ResponderExcluir
  6. Desde quando o aborto é a solução para problemas de saúde pública

    Se com quinze anos um adoslescente tem filho, a solução não é o aborto e sim a educação e orientação sexual. Um povo mal orientado tenta resolver seus problemas com a morte de inocentes...

    O FETO é um indíviduo que deve ser protegido por Lei, pois é um ser vivo (humano). Se a Lei brasileira protege animais com prisão sem fiança é um cúmulo não proteger a vida humana.

    Como um adolescente pode tomar tal decisão!!!

    ResponderExcluir
  7. Protege a onça, o mico leão dourado, a baleia, o golfinho,,,mas o ser humano,,,pode passar a faca?

    A borto é crime, pelo menos é o que diz o código penal Brasileiro, de 1 a 10 anos de prisão.

    Ainda é crime, e espero que continue sendo, ser mãe, não dá direito de decidir a morte de um indivíduo.

    ResponderExcluir
  8. Não venham iludir com estatisticas furadas. Querem defender, falem por si mesmo. Os dados oficiais do DATASUS demonstram que essas 250 mil curetagens englobam as realizadas por abortos espontaneos e provocados. Aborto não é questão de saude publica. Hipocrisia? Hipocrisia é afirmar q a mulher tem direito ao seu corpo e o bebe não sente nada durante o aborto. Basta pesquisar os metodos abortivos para ver o quão desumanos são. Como ja postaram em outros comentarios, o problema é outro.A bandeira : salvem as mulheres e exterminem os inocentes, sinceramente não convence. Esperava q um programa tão inteligente como o CQC abordasse a questão de uma maneira igualmente inteligente. E não engrossasse a fila dos pró aborto exibindo uma reportagem tão tendenciosa a legalização!

    ResponderExcluir
  9. A jovem responde as pergutnas depois do Pr. Silas,,,,ai é fácil fazer a montagem....concordo que deveria ser mais justo o debate.

    A jovem diz descaradamente que praticou um crime,(1 a 10 anos de prisão) porque não tinha dinheiro e era jovem, e que a mãe deu o maior apoio e incentivou....É este tipo de educação e orientação que falei acima,,,,e a culpa é do bebê que veio em uma hora errada. É cómico!

    Já que a falta de dinheiro me dá direitos de escolher o destino das pessoas....então muito brasileiro vai sair matando...

    A Lei foi criada para proteger o FETO(reconhecendo que o mesmo já é um ser vivo), de pessoas sem orientação...

    E o governo deveria fazer campanhas de concientização contra o aborto,,,,fazem contra o cigarro!!!!

    ResponderExcluir
  10. IMPRÓPRIO PARA MENORES DE 18 ANOS; CENAS CHOCANTES. MOTIVACIONAL A VIDA.

    http://www.youtube.com/watch?v=lYsEQ-WaON8

    ResponderExcluir

Orientações para a postagem de comentários do CQC Blog

Follow Us

Arquivo do Blog

Comunidade CQC Brasil

Postagens Populares

© CQC Blog - Custe o Que Custar All rights reserved | Theme Designed by Seo Blogger Templates